30 dias de meditação (hábito #3) – 6 meses e 6 hábitos

Acho que é desta. Sim, acho que é desta que vou começar a meditar todos os dias.

Se segues O Macaco de Imitação há algum tempo, sabes que ando em "guerra" com a meditação há mais de um ano. Já escrevi e reescrevi vários posts sobre o assunto, já tentei ganhar o hábito várias vezes, sei os benefícios todos da meditação e, até agora, nada. Mas desta vez, inserido no grande desafio de 6 meses e 6 hábitos, decidi que este hábito tinha de ficar "despachado".

Engano-te se escrever que estes foram 30 dias de meditação, e que cumpri este hábito de 5 minutos todos os dias. A verdade é que tive uma viagem de duas semanas pela Sicília onde, de entre outras coisas, passei uma semana a navegar num barco à vela. Por vergonha, falta de paciência, ou os dois, não meditei durante toda esta viagem. Quando voltei, decidi investir mais duas semanas de meditação para consolidar este hábito antes de passar para o hábito #4.

Foto tirada no topo da Serra de Monchique, no verão de 2013. Por razão desconhecida, o terreno tinha centenas destas "construções" de pedra ao qual associamos a meditação e budismo (sinceramente, não conheço a ligação, mas deve ser uma metáfora ao equilíbrio da alma ou assim). Já nesta altura pensava em começar a meditar.
Até aqui n’O Macaco, este não foi o primeiro desafio de 30 dias de meditação. No ano passado experimentei meditar, escrever e fazer exercício todos os dias durante um mês. Foi um mês interessante, mas longe de ser produtivo. Em termos de hábitos, já diz o ditado, quem tudo quer tudo perde.

E não volto a repetir neste artigo os benefícios da meditação ou como meditar. Isso já eu fiz num post anterior, num manual de "meditação para totós", escrevendo tal como um profissional que não o sendo queria vir a ser. Esse foi um dos primeiros posts d’O Macaco de Imitação.

Resumidamente, a teoria já a tinha, e também já a tinha partilhado. Esta foi, talvez, a minha 7ª tentativa de adquiri o hábito de meditação e espero que seja a última. Mas agora deixemo-nos de justificações.

Para mim, a meditação não tem a ver com espiritualidades. Meditar é treinar a mente. É treinar para ser mais resiliente, menos sujeito às adversidades da vida e do dia-a-dia. É uma forma de controlar a corrente de pensamentos e desenvolver a concentração para trabalhar naquilo que de verdade importa.


O Macaco de Imitação a meditar. Rafiki na posição Lotus. Imagem retirada de https://relaxdontpanic.files.wordpress.com
Durante este desafio meditei apenas 5 minutos por dia, porque isso basta para quem está a começar. Defini um lembrete no telemóvel que todos os dias me recorda que está na altura da sessão de meditação. Sento-me de pernas cruzadas (não é obrigatório), mantenho as costas direitas e concentro-me na respiração. Por vezes tento evitar esse lembrete. Mas ele fica por lá, e umas vezes mais contrariado que outras, sento-me e faço o que tenho que fazer.

Meditar não é fácil. Mesmo ao final de um mês, é muito difícil concentrar-me na respiração, sem pensar em mais nada, durante um minuto que seja. Mas sei que com o tempo a prática se tornará mais fácil. E a sorte é que não precisamos de ser grandes "meditadores" para sentir os benefícios de uma prática regular. Com um mês de meditação, sinto que estou mais calmo e consigo concentrar-me mais facilmente em qualquer coisa.

Mas nestas coisas da meditação, o objetivo é tentar, mesmo que os pensamentos corram a mil à hora. E ganhar esse hábito, de estar sentado durante 5 minutos todos os dias, é fácil. Toda a gente tem 5 minutos durante o dia para estar sentado e não fazer nada. E com o tempo, dizem os gigantes na matéria, os benefícios começam a sentir-se de forma substancial.

Peço desculpa se o título do artigo te levou a pensar que este era um post sobre como meditar, ou sobre os benefícios da meditação, ou como chegar ao nirvana, ou quais são os segredos para adquirir este hábito. Isso já eu fiz noutros artigos d’O Macaco de Imitação. Este artigo serviu apenas para justificar o meu percurso meditativo e que meditar não é difícil. Toda a gente pode fazê-lo se tiver a atitude e ferramentas certas – um lembrete no telemóvel.

E não. Este não é certamente o último artigo de meditação d’O Macaco de Imitação. Mas (espero) ser o último em que coloco a frase "este mês vou começar a meditar".

Conhece a página do Facebook d'O Macaco de Imitação.

Artigos relacionados:

Etiquetas: , , , , , , , , , , , , ,