Os 4 Livros de Maio - Introvertidos, Alpinistas, Astronautas e Escritores

No início do ano desafiei-me a ler 20 livros. Com o final de Maio, estou a 2 livros de cumprir esse objetivo. Este mês explorei 4 livros que estavam na minha lista há algum tempo. 

Em primeiro lugar, aprendi sobre introvertidos e o papel que eles têm no mundo. De seguida, li o relato impressionante de um homem que escalou o Evereste. Explorei também a vida de um astronauta, e o que este nos tem a ensinar sobre como viver melhor na Terra. Por fim - porque este assunto é cada vez mais importante para mim - li um livro sobre como escrever melhor.

1) Quiet: The Power of Introverts in a World That Can't Stop Talking, Susan Cain

Se não tens a certeza sobre o teu nível de introversão-extroversão, segue este link e testa a tua personalidade. Como já tenho escrito n'O Macaco de Imitação, é importante conhecermo-nos para que, se for necessário, alteremos o nosso comportamento. Nesse aspeto, este é um livro muito interessante para introvertidos.

Vivemos numa sociedade que idolatra o extrovertido; o tipo que vai às festas; o tipo que nunca se cala e parece estar sempre divertido; e esquecemo-nos que há vantagens em ser mais reservado e pensar antes de agir. Com Quiet, percebemos as diferenças entre introvertidos e extrovertidos. Entendemos também por que algumas coisas da sociedade moderna - como sessões de brainstorming e open-offices - podem não funcionar para algumas pessoas.

Acho interessante quando Susan Cain escreve sobre como as pessoas "recarregam as baterias". Os extrovertidos alimentam-se das festas, barulho e da interação entre muitas pessoas. Pelo contrário, os introvertidos, embora possam gostar de festas, sentem a necessidade de estar sozinhos, pois é aí que vão buscar a sua energia.

Com a leitura de Quiet, percebo que é importante cada um respeitar a sua personalidade na altura de procurar atingir um objetivo. Mais não digo, tens de ler o livro.

Imagem retirada de goodreads.com
Deixo aqui algumas frases de Quiet:


It makes sense that so many introverts hide even from themselves. We live with a value system that I call the Extrovert Ideal—the omnipresent belief that the ideal self is gregarious, alpha, and comfortable in the spotlight.

The more creative people tended to be socially poised introverts...As teens, many had been shy and solitary.

Nor are introverts necessarily shy. Shyness is the fear of social disapproval or humiliation, while introversion is a preference for environments that are not overstimulating. Shyness is inherently painful; introversion is not

We need to find a balance between action and reflection.

Some people act like extroverts, but the effort costs them in energy, authenticity, and even physical health.

According to Free Trait Theory, we are born and culturally endowed with certain personality traits—introversion, for example—but we can and do act out of character in the service of “core personal projects.

2) Into Thin Air, Jon Krakauer

Porque é que as pessoas decidem escalar montanhas? Foi esta a questão que me levou a ler Into Thin Air de Jon Krakauer. Será pela fama? Para se sentirem ligados à natureza? Podes encontrar as respostas neste livro.

Into Thin Air é uma história, verídica, de um jornalista-alpinista, convidado a escalar o Evereste, com vista a publicar um artigo sobre a massificação do turismo na montanha mais alta do mundo. Infelizmente, tudo o que tinha para correr mal correu, e esse foi um ano particularmente sangrento nos Himalaias. 

Imagem retirada de goodreads.com
Jon Krakauer é também autor do famoso livro, com adaptação cinematográfica, Into The Wild. A sua escrita encanta qualquer leitor. Nesta minha aventura pelos Evereste, aprendi sobre toda a segurança à volta da escalada, sobre este tipo de turismo e sobre a ambição humana. Este livro fascinou-me.

3) An Astronaut's Guide to Life on Earth, Chris Hadfield

É no verão de 1969, ao ver o primeiro homem a pisar a Lua, que Chris Hadfield, então com 9 anos, decide ser astronauta. Segue-se uma vida de trabalho para atingir esse sonho. 

Fascina-me a personalidade deste senhor, porque toda a vida se preparou para uma aventura que podia nunca ter acontecido. Na sua altura, não haviam sequer astronautas canadianos, então a probabilidade de Chris ir ao espaço era muito remota. Mas o seu pensamento foi sempre o mesmo; "é praticamente impossível ser astronauta, mas pelo sim pelo não, vou preparar-me."

Imagem retirada de goodreads.com
O livro guia-nos através da vida de Chris Hadfield; da sua preparação para se tornar o primeiro canadiano a fazer uma "caminhada" no espaço. Chris foi também o primeiro canadiano a comandar uma missão na Estação Espacial Internacional. E, lá em cima, fez uma série de vídeos  - com imenso sucesso no YouTube - que mostravam como era viver sem gravidade. Além disso, Chris Hadfield gravou o primeiro video-clip no espaço.


Chris Hadfield é a prova de que, trabalhando muito, podemos atingir qualquer sonho. Em An Astronaut's Guide to Life on Earth, Chris escreve sobre a sua jornada, o que aprendeu sobre a vida na Terra, e como devemos encarar a nossa vida e objetivos. Chris Hadfield é uma verdadeira inspiração.

Deixo aqui algumas das frases do livro:

Like most astronauts, I’m pretty sure that I can deal with what life throws at me because I’ve thought about what to do if things go wrong, as well as right. That’s the power of negative thinking.

If you start thinking that only your biggest and shiniest moments count, you’re setting yourself up to feel like a failure most of the time. Personally, I’d rather feel good most of the time, so to me everything counts: the small moments, the medium ones, the successes that make the papers and also the ones that no one knows about but me.

The truth is that I find every day fulfilling, whether I’m on the planet or off it. I work hard at whatever I’m doing, whether it’s fixing a bilge pump in my boat or learning to play a new song on the guitar.

4) On Writing Well: The Classic Guide to Writing Nonfiction, William Zinsser

Com a escrita d'O Macaco de Imitação, nasceu também a necessidade de aprender a escrever melhor. Como ainda estou longe dos meus objetivos enquanto escritor, decidi, em Maio, investir num livro recomendado por Tim Ferriss, um dos meus ídolos. On Writing Well é o primeiro livro que leio deste género. No final, fiquei mais sensível e consigo distinguir um bom texto de um texto menos bom. Aprendi muitas técnicas para escrever melhor, mas, como qualquer skill, é preciso muito treino para passar da teoria à prática.

Imagem retirada de goodreads.com
Para captar o leitor, ou passar a informação de forma eficaz, há que ter uma escrita simples, sem floreados desnecessários, usando palavras curtas e respeitando o ritmo natural da leitura. Estas são algumas das dicas de William Zinsser. Aconselho a leitura de On Writing Well a todas as pessoas. Até para quem não escreve mais que um email ou sms.

Deixo aqui duas das minhas frases favoritas de On Writing Well

Nobody told all the new e-mail writers that the essence of writing is rewriting.

Clutter is the official language used by corporations to hide their mistakes.

William Zinsser faleceu dia 12 de Maio, alguns dias antes de começar a ler On Writing WellAcabei por ler o livro com mais atenção. Pensei que, como qualquer escritor, ficaria feliz ao saber que a sua mensagem era passada mais uma vez.

Etiquetas: , , , , , , , , , , , ,